Série de lives aborda o tema “Teatros Feministas – lugar de resistência e conflito”

No Te Pongas Flamenca - Foto Adriana Marchiori

No Te Pongas Flamenca – Foto Adriana Marchiori

No próximo final de semana, Juliana Kersting, Larissa Sanguiné e Victória Sanguiné iniciam uma série de conversas sobre “Teatros Feministas – lugar de resistência e conflito” a partir de trechos da filmagem da peça de teatro feminista No Te Pongas Flamenca!. Os encontros acontecem nos dias 17, 18 e 19 de outubro no canal do Youtube da M.A.cia– teatro, dança e assemelhados.

Para as conversas, será tomada como perspectiva os conceitos de memória frequentemente presentes em espetáculos com abordagem feminista e alguns de seus atravessamentos, como autobiografia na cena, arte e pesquisa. Segundo a pesquisadora e encenadora Maria Brígida de Miranda, “o teatro feminista pode ser um espaço ficcional onde a força está na presença física das atrizes e nas narrativas teatrais ancoradas nas experiências de mulheres; em seus corpos vivos e pulsantes que criam imaginários de igualdade e empoderamento feminino”.

O espetáculo usado como referência foi matéria de pesquisa de mestrado de Juliana, e tem direção cênica de Larissa Sanguiné e operação e mixagem de som de Victória Sanguiné.

A proposta foi selecionada no Edital FAC DIGITAL RS e financiado pelo PRÓ-CULTURA RS FAC – Fundo de Apoio à Cultura.

Serviço
O Quê: Conversas sobre “Teatros Feministas – lugar de resistência e conflito”
Quando: Dias 17, 18 e 19 de outubro, sábado e domingo, e segunda-feira, sempre às 19h
Onde: Canal do Youtube da M.A.cia, no link https://youtube.com/channel/UCskwlDrp6HCGJSf_O2-PM2g

No Te Pongas Flamenca - Foto Adriana Marchiori

No Te Pongas Flamenca – Foto Adriana Marchiori

“No Te Pongas Flamenca!”: Desenvolvido entre 2017 e 2019, junto ao PPGAC da UFRGS, com orientação da encenadora e pesquisadora Patrícia Fagundes e direção cênica de Larissa Sanguiné. Participou de eventos como o I Tecendo Teatros Feministas, Projeto Mulheragem, X Congresso da ABRACE, Dia da Cultura na UFRGS 2018, VIII Simpósio do LUME, Portas Abertas da UFRGS 2019 e Seminário Encontros Estéticos: Corpos em Alianças e Redes Festivas. Em maio de 2019 realizou pré-estreia na Mostra Cena em Pesquisa, dentro da 14ª edição do Festival Palco Giratório Porto Alegre, sua defesa de mestrado em 23/09 e estreia profissional em fevereiro de 2020 no Festival Porto Verão Alegre.

Larissa Sanguiné: diretora cênica da peça e parceira de trabalho, tem desenvolvido durante os últimos anos uma pesquisa continuada sobre as temáticas que envolvem as mulheres a partir dos espetáculos “Projeto Medea”(2015), “Projeto Lilith – pichações em corpos histéricos” (2016) e “Os últimos dias de Alice Underground”(2019). Articulando e reescrevendo a história de Medea, inspirando-se nos mitos de Lilith e Pandora e mergulhando no universo do rock’n roll, engendra em cena discursos que abordem a violência cotidiana sofrida pelas mulheres.

FOCAR VEÍCULOS.svg

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Captcha loading...