Mais de 2 mil alunos do Conviver participam de atividades no santuário de Caravaggio

????????????????????????????????????

Na ação, realizada pela Smel, os integrantes do programa foram nas missas e ajudaram nas celebrações
Cerca de 2,3 mil alunos do programa Conviver da Secretaria Municipal do Esporte e Lazer (Smel) visitaram o santuário de Nossa Senhora de Caravaggio, em Farroupilha, e participaram das missas na última semana. A ação já é tradicional para os integrantes do Conviver que, todos os anos, realizam a atividade, auxiliando na procissão de entrada, ofertório, coral e liturgia das celebrações.
“É importante manter atividades como essa, pois a espiritualidade é algo muito forte na faixa etária desses alunos. Estamos cultivando a tradição já que muitas pessoas são devotas de Nossa Senhora de Caravaggio. Além disso, é mais um momento de socialização, de fortalecimento de vínculos e de convivência com outras pessoas”, destacou Rossana da Silva, coordenadora do Conviver.
Neste ano, 75 grupos do programa participaram das visitas. Isabel de Costa tem 58 anos e participa do Conviver há 17, quando o programa ainda não tinha faixa etária definida. Essa é a terceira vez que ela visita o santuário com o grupo do bairro Fátima. “Foi muito lindo! Todos os anos está cada vez melhor, mais emocionante. Em dias como esse a gente consegue sentir o quanto tudo é especial”, contou Isabel.
Já o casal, Oscar e Libera Spiller, aproveitou a oportunidade para comemorar os 44 anos de casados. “Viemos com nossos amigos porque nos sentimos bem aqui. No programa, é fácil gostar de tudo: das professoras, das aulas, das conversas e de toda essa convivência”, apontou Oscar.
“É legal ver como eles ficam animados para as pré-romarias, já pedem no começo do ano se vai acontecer, porque isso é um diferencial do programa. Muitos deles já não conseguem ir a pé e os filhos não os levam, então essa é uma oportunidade única”, complementou a coordenadora do Conviver, Rossana Silva.

Programa Conviver
O programa atende ao público adulto de ambos os sexos a partir dos 60 anos de idade (ou na faixa de transição, entre os 55 e 59 anos), que procuram conservar e melhorar sua qualidade de vida. As aulas são desenvolvidas semanalmente, de março a dezembro, em locais disponibilizados pela comunidade, tais como centros comunitários, salões paroquiais, ginásios e clubes. Atualmente conta com 76 grupos espalhados em diversos bairros de Caxias do Sul.

Foto Karine Zanardi dos Santos

horiz meia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Captcha loading...