Mateus Bandeira aposta na renovação com preparo para qualificar a política

thumbnail (1)

O candidato a governador Mateus Bandeira (Novo) reforçou a importância de ampla renovação na eleição. “Só teremos resultados diferentes dos que tivemos até aqui se tivermos a coragem de investir em pessoas com preparo e trajetória, de fora da política, mas que querem contribuir com a sociedade”, destacou na quarta-feira (12) no Café com Política da Revista VOTO. O evento contou com a participação de lideranças empresariais e de entidades que se reuniram na sede da publicação. Bandeira reforçou sua posição sobre a necessidade de um profundo ajuste das contas, privatizações e adesão ao Regime de Recuperação Fiscal. “A sustentabilidade do Estado passa por essas ações imprescindíveis que precisam ser feitas no início do governo”, ressaltou.

Representante do Novo, partido registrado há três anos, Bandeira defende um Estado com menos burocracia, mais eficiente, que não atrapalhe a vida dos cidadãos. “Cabe ao governo trabalhar com seriedade e firmeza na construção de um ambiente atrativo para que empresas sejam estimuladas a investir no RS, criando emprego e renda à população”, argumentou.

Caso eleito, o postulante ao Piratini, esclareceu que contará com um time de secretários formado por técnicos e especialistas em suas áreas. O candidato a vice, Bruno Miragem, defendeu a meritocracia como forma de valorizar os servidores públicos.

Com 30 anos de experiência na iniciativa privada e no setor público, Bandeira foi diretor do Tesouro da Secretaria da Fazenda, secretário estadual do Planejamento no governo Yeda Crusius e liderou o processo de ajuste nos únicos três anos das últimas duas décadas em que as contas do Estado ficaram no azul. Foi presidente do Banrisul e CEO da maior consultoria de gestão do país, a Falconi.

Saúde e segurança

Na saúde pública, o candidato respondeu questionamentos do presidente do Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (Simers), Paulo Argollo, sobre ações voltadas para a qualificação do setor. “Precisamos melhorar indicadores de qualidade, colocar gestão no sistema e integrá-lo”.

A área da segurança pública, para Bandeira, será prioridade: “Vamos integrar os sistemas das polícias, construir presídios, com financiamentos federais e parcerias público-privadas. Vamos reforçar o efetivo dentro da capacidade financeira do Estado”, disse, alertando, que o bandido precisa ter medo, e não o cidadão de bem.

horiz meia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Captcha loading...