Agroindústria promove sucessão rural e melhora condições de vida em Bento Gonçalves

IMG_1966

Criada recentemente, a agroindústria familiar Regina Massas e Cia, situada na rota Turística Caminhos de Pedra, em Bento Gonçalves, recebeu na sexta-feira (14/06) a visita do secretário estadual da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural, Covatti Filho, do presidente da Emater/RS, Geraldo Sandri, do prefeito de Bento Gonçalves, Guilherme Pasin, e autoridades locais. Na ocasião, eles entregaram os certificados de inclusão no Programa Estadual de Agroindústria Familiar do Governo do Estado (Peaf), do Selo Sabor de Bento e da capacitação em limpeza e sanitização da caixa d’água, realizada pela Emater/RS-Ascar.

Para Covatti Filho, esta agroindústria é um exemplo de sucessão rural e de conquista familiar. “Nós estamos aqui entregando esse certificado (Peaf) para que vocês saibam desse fortalecimento, que agora cada vez mais o Estado vai dar condições pra vocês, porque nós podemos ajudar através do Feaper, auxiliando na aquisição de equipamentos e melhorias, e vocês vão poder participar de feiras como a Expointer”, destacou.

 “É uma alegria muito grande ver que as comunidades se desenvolvem, as pessoas criam coragem de investir e empreender quando tem a parceira e o apoio. Nós, enquanto Emater, estamos dando esse apoio”, frisou Sandri.

Com mais este empreendimento, Bento Gonçalves passa a contar com 31 agroindústrias familiares inclusas no Peaf e outras 19 cadastradas, ou seja, em processo de legalização. O prefeito de Bento Gonçalves ressaltou a diversidade da produção das agroindústrias familiares, destacando que a primeira agroindústria de vinho colonial do país surgiu no município, e que muitos empreendimentos estão participando da ExpoBento e Fenavinho. O município também possui um programa, Selo Sabor de Bento, que complementa o estadual (Peaf), fazendo com que Prefeitura, Emater/RS-Ascar e Vigilância Sanitária atuem em sintonia. “A gente conseguiu enxergar a vontade do cidadão e a qualidade do seu trabalho como o ponto maior, percebeu que o projeto de agroindústria era o que realmente empoderava as famílias do interior, entendeu que a partir disso a gente transforma a vida no interior, agrega valor na economia local e enriquece as nossas famílias”, declarou Pasin.

A jovem Kariele, que está à frente da agroindústria de massas frescas (capeleti, tortéi, macarrão, ravioli, tortelones e outras) e de pien, junto com a mãe, Márcia, conta que o apoio da Emater/RS-Ascar e do município tornaram todo o processo de legalização simples e rápido. A jovem relata, ainda, que procura sempre manter um padrão de qualidade, que está satisfeita com a boa aceitação e demanda pelos produtos e que já tem planos de ampliar o negócio e diversificar mais a produção, com outras massas e molhos.

“Eu me acho bem sortuda de poder ter voltado pra cá, depois de tantos anos trabalhando fora, de ter visto numa coisa que a minha mãe fazia pra vizinhança a possibilidade de crescer, de ganhar dinheiro, muito mais do que se ganhava fora. Eu estou muito satisfeita e espero que mais agricultores consigam ter essa visão de conseguir empreender e crescer dentro da propriedade, ao invés de estar fugindo”, diz Kariele Comparin, que deixou o trabalho na cidade para empreender no meio rural.

As massas da agroindústria podem ser encontradas nos principais supermercados da cidade ou ser saboreadas em mais de dez restaurantes na cidade, nos Caminhos de Pedra e Vale dos Vinhedos.

Crédito Rejane Paludo – Emater/RS-Ascar

 

FOCAR VEÍCULOS.svg

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Captcha loading...