UCS | Artigo sobre uso de nanocápsulas de fungicidas na prevenção da podridão da maçã é publicado pela Food Chemistry

Trabalho de cunho multidisciplinar, resultante dos estudos do Mestrado em Biotecnologia de Gabriela Antonioli, teve a participação de pesquisadores da área da Biotecnologia, da Química e da Agronomia. A Food Chemistry é uma prestigiada revista internacional que publica na área da Química, Alimentos e Agrotecnologia

A engenheira química Gabriela Antonioli apresentou sua dissertação de Mestrado na Universidade de Caxias do Sul, com o trabalho Desenvolvimento de nanocápsulas de poliácido lático contendo óleo essencial de capim-limão e avaliação contra fungos fitopatogênicos, no dia 1º de novembro de 2019. Com a orientação dos professores Thiago Barcellos da Silva e Gabriel Fernandes Pauletti (coorientador), seu projeto de Mestrado se insere no contexto da busca de novas tecnologias ambientalmente confiáveis que contribuam para a produção de alimentos mais saudáveis.
 
Publicado na Food Chemistry, o artigo, resultante do trabalho de pesquisa da Gabriela, discorre sobre o desenvolvimento de uma nanocápsula de poliácido láctico contendo óleo essencial de capim-limão, um antifúngico natural para Colletotrichum acutatum e Colletotrichum gloeosporioides, fitopatógenos presentes em diferentes cultivares de maçã, entre eles a maçã, causando a popular “podridão da maçã”.
 
Como os óleos essenciais costumam apresentar um alto grau de volatilidade e fotodegrabilidade, os pesquisadores optaram por encapsular o óleo essencial de capim-limão em nanocápsulas estáveis com morfologia esférica, de diâmetro médio de 96,4, nm e eficiência de encapsulamento de 99%, o que possibilitou a liberação mais gradual do óleo. No ensaio in vivo com maçãs pós-colheita, as amostras tratadas com cápsulas essenciais encapsuladas mostraram lesões de podridão amarga três vezes menores que as tratadas com óleo essencial não encapsulado.

Segundo o professor Thiago Barcelos, um dos autores do artigo publicado pela Food Chemistry, “como estamos em uma região grande produtora de frutas, inclusive de maçã, acreditamos que esta tecnologia, cujo o pedido de patente já foi depositado, pode trazer benefícios aos produtores, e não só aos produtores de maçã, pois acredita-se que esse modelo pode ser utilizado em outros cultivares com resultados positivos também”.

O professor Matheus Parmegiani Jahn, coordenador de Pesquisa da UCS, destaca o potencial de aplicabilidade da pesquisa, que pode evoluir para um possível serviço tecnológico a ser oferecido aos produtores da região. “Esse é mais um exemplo da aplicação da Ciência, transformando conhecimento científico em solução tecnológica para os problemas reais da sociedade. Podemos dizer que é a UCS cumprindo a sua missão institucional”, conclui.
FOCAR VEÍCULOS.svg

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Captcha loading...