Decreto que permite comércio de portas abertas na bandeira vermelha atende reivindicações da Fecomércio-RS

Credito Marcos Nagelstein Agência Preview.

Presidente da Fecomércio-RS, Luiz Carlos Bohn – Crédito Marcos Nagelstein Agência Preview

 

Entidade vem realizando campanha para sensibilizar o poder público sobre o impacto das medidas restritivas na economia

Após quase quatro meses de sucessivos pedidos e sugestões da Fecomércio-RS e sindicatos empresariais filiados para que fosse alterado parte do protocolo do Plano do Distanciamento Social, a partir desta quarta-feira (05/08), o comércio não essencial e os restaurantes poderão voltar a abrir as portas e receber público nas regiões classificadas em bandeira vermelha, mediante a chancela das prefeituras. Apesar de ainda vigorarem restrições, como a redução de dias e horários de funcionamento, número de funcionários e capacidade de clientes, a medida representa um avanço para comerciantes de bens e de serviços que estavam impedidos de abrir as portas.

“Essa flexibilização é algo pelo qual temos trabalhado desde o início do plano e vemos de forma favorável, já que o comércio tem contribuído ajustando os seus procedimentos para tornar a atividade segura para os empresários, trabalhadores e para o público. Existem muitos fatores gerando novos casos de Covid-19 que nada têm a ver com o comércio. Continuamos insistindo que é preciso ter uma estratégia para rastrear contaminações, e as empresas estão dispostas a colaborar com um estudo neste sentido, atuando como parte da solução”, afirma o presidente da Fecomércio-RS, Luiz Carlos Bohn.

O decreto do Governo Estadual, publicado nesta quarta-feira, estipula que o comércio varejista não essencial em ruas, centros comerciais e shoppings pode abrir de quarta-feira a sábado, das 10h às 16h, com 25% dos trabalhadores e ocupação reduzida conforme a área do estabelecimento. Os restaurantes poderão abrir de segunda a sexta-feira, das 10h às 16h, operando com 50% dos trabalhadores e com 25% de lotação na bandeira vermelha, na bandeira laranja poderão operar com 50% dos trabalhadores e 50% de lotação e na bandeira amarela com 75% dos trabalhadores e 75% de lotação. Seguem permitidas as modalidades de tele-entrega, drive-thru e pague e leve todos os dias da semana.

Desde o início da pandemia, a Fecomércio-RS vem alertando que o fechamento do comércio não soluciona a questão do avanço da pandemia e acarreta outros graves prejuízos à população, com o fechamento de milhares de postos de trabalho. Até agora, 580 mil contratos de trabalho foram reduzidos ou suspensos e 130 mil foram encerrados, em um universo de 2,8 milhões de trabalhadores formais no Rio Grande do Sul.

FOCAR VEÍCULOS.svg

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Captcha loading...