Livro celebra legado de diaconisa e cultura do alimento no cuidado do paciente

Foto Leonardo Lenskij

Foto Leonardo Lenskij

Obra reúne receitas e segredos usados pela Schwester Ruth Müller, que foi responsável pela cozinha do Hospital Moinhos de Vento por várias décadas

Regra geral para bolos, cucas, biscoitos e doces: é exigido que todos eles sejam fofos. Para isso, são usadas claras batidas, fermento em pó e biológico. Para os bolos e cucas, deve-se mexê-los demoradamente sempre para um lado só. Essas são algumas das muitas dicas reunidas ao longo de décadas pela Schwester Ruth Müller, diaconisa responsável pela cozinha do Hospital Moinhos de Vento até o ano de 1979. Em um caderno escrito à mão, ela reuniu mais de 300 receitas e segredos usados no preparo de alimentos na instituição.

Centro de Nutrição e Dietética do Moinhos (1981)

Centro de Nutrição e Dietética do Moinhos (1981)

Agora, o público poderá conhecer parte dessa história no Livro de Receitas da Schwester, obra publicada pelo Hospital Moinhos de Vento. A publicação foi organizada pela equipe de Marketing e pelo Espaço Memória Amarílio Vieira de Macedo, que preserva o acervo histórico da instituição, contando com a expertise do chef de cozinha Samir Quaresma, responsável pelo Bistrô Moinhos.

Cozinha do então Hospital Alemão

Cozinha do então Hospital Alemão

“A ideia de organizar essa publicação surgiu quando a superintendente assistencial e de educação, Vania Röhsig, percebeu que tínhamos em nossas mãos um patrimônio histórico e cultural valioso. Promover esse resgate seria uma oportunidade de homenagear todas as diaconisas que atuaram em nossa organização desde a fundação”, destaca Sibele Mezetti Humbert, historiadora e coordenadora da obra. Para compor a coletânea foram selecionadas diversas receitas do caderno da Schwester Ruth, num passeio pela cultura da imigração alemã e, também, uma celebração do alimento para o cuidado do paciente.

“Essa culinária é o fruto de uma conexão de culturas, dos alemães que migraram para o Rio Grande do Sul e, aqui, tiveram contato com outros alimentos, adaptando suas receitas para a realidade brasileira, nascendo assim a culinária do imigrante alemão no RS”, enfatiza Sibele. Filha de pai suíço e mãe alemã, Ruth Müller chegou ao Brasil com quatro anos de idade e, ainda jovem, foi a Porto Alegre cursar enfermagem no então Hospital Alemão. Sua vocação, no entanto, era cuidar das pessoas pelo alimento e, assim, passou a trabalhar na cozinha do hoje Hospital Moinhos de Vento.

Cultura do cuidado

O alimento é parte essencial do cuidado do paciente, ganhando uma atenção especial em diversas instituições. No Moinhos, os ensinamentos deixados pela Irmã Ruth ajudaram a moldar a cultura do hospital na área da nutrição.

“As dicas da Schwester Ruth trazem técnicas gastronômicas utilizadas hoje nos restaurantes e em cozinhas. Me deixou surpreso o conhecimento que tinham naquela época e que, eu aprendi somente cursando uma faculdade. Tenho a experiência de outras instituições hospitalares e nenhuma delas tem esse tesouro”, enfatiza o chef Samir Quaresma, coordenador de Gastronomia e Atendimento ao Cliente no Moinhos e especializado em Gastronomia Hospitalar. “Nosso objetivo maior é evitar a desnutrição dos pacientes e tornar a alimentação mais saborosa faz parte desse trabalho. Ouvir um ‘eu amo comida de hospital’ ou ‘é melhor que o da minha avó’ foi um gol bem marcado”, afirma.

O superintendente executivo do Hospital Moinhos, Mohamed Parrini, destaca que cozinhar é uma arte que envolve dedicação e um olhar para o outro. “Consumir o resultado desse trabalho significa reconhecer e aceitar a generosidade humana, iniciando uma conexão afetiva de paz, amizade e também cura, já que o primeiro remédio da humanidade é o alimento, seja ele físico ou espiritual”, pontua.

Tradições que seguem vivas

O livro traz receitas selecionadas com as marcas da cultura alemã, adequadas para o preparo por qualquer pessoa. Entre os destaques, estão pratos como a carne à la Pichelsteiner, a Borsch, sopa tradicional do leste europeu que leva feijão branco e legumes, e o Käsenkuchen, doce cujo primeiro registro data de 1598, na Alemanha, e que foi adaptada pelos imigrantes para a realidade local.

Algumas dessas receitas são reproduzidas até hoje no Hospital Moinhos. O Apfelstrudel é a sobremesa servida tradicionalmente no café da manhã do Dia do Médico, desde a época do Hospital Alemão. Biscoitos de Natal são distribuídos aos profissionais e pacientes nas festas de fim de ano. Estes são, atualmente, preparados pela Schwester Ires Spier, que está há mais de meio século como diaconisa da instituição.

A publicação está disponível para consulta pelo site do Moinhos. Para celebrar o lançamento, pacientes elegíveis receberão receitas do livro, alinhadas com a equipe de Nutrição. O caderno original está em exposição no Bistrô do Hospital, onde também podem ser adquiridos os exemplares físicos. A renda com a venda do livro será toda destinada aos projetos do Instituto Moinhos Social.

Foto Leonardo Lenskij

FOCAR VEÍCULOS.svg

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Captcha loading...