Exposição no Ordovás concretiza projeto autobiográfico Nossas Senhoras, da professora da UCS e artista Mara Galvani

Nome de solteira - Certidão de nascimento

Nome de solteira – Certidão de nascimento

Curadoria é assinada pela docente da Universidade Silvana Boone, coordenadora dos cursos de bacharelado e licenciatura em Artes Visuais

Conheça, a partir do dia 29 de julho, as Nossas Senhoras de Mara Galvani, em exposição na Galeria de Artes do Centro Municipal de Cultura Dr. Henrique Ordovás Filho. A mostra concretiza um projeto autobiográfico da artista e poeta, professora da Universidade de Caxias do Sul. A curadoria é da também docente da UCS Silvana Boone, coordenadora dos cursos de graduação – bacharelado e licenciatura – em Artes Visuais, curadora e crítica de arte.

A mostra tem a figura das mulheres “de família” e da família de Mara como tema central: a realidade vivida em um contexto patriarcal tornada poética e artística como uma catarse de um passado irreversível, em um presente de mudanças sociais. Nos últimos dois anos, a artista resgatou a história de vida da sua mãe, os principais ritos de passagem, que incluem momentos sociais e religiosos, e, dessa forma, sua própria história foi sendo desvelada a cada imagem. Mara encontra, nas diferentes linguagens da arte, os elementos para concretizar uma ideia poética em obra concreta, mesclando apropriações de elementos da sua existência real com uma criação artística através de fotografias, relevos, gravuras, objetos encontrados e escolhidos nos seus baús, revisitados pelas suas memórias e ressignificados ao se tornarem palavras e obras de arte.

Saiba mais em texto apresentação:

“Imagens simbólicas e objetos de referência de ritos religiosos que não podiam ser questionados, como batismo, primeira comunhão e o casamento na igreja eram aceitos e tomados como obrigações impostas pela sociedade patriarcal e, durante muito tempo, as mulheres eram as ‘nossas senhoras’, fossem elas as figuras associadas à imagem da Virgem Maria ou as senhoras casadas que, de uma forma machista, pertenciam a um marido ou a uma família regida por um pai. Sempre subordinadas a uma figura masculina, a filha do fulano, a esposa do beltrano e, assim por diante, eram as identidades vinculadas a um sobrenome que lhes desse o devido respeito.
E adentrando na história da mãe, a partir da quebra de padrões, com sua separação vinte anos após o casamento, a artista, até então a filha de alguém, passa a ser a filha da separada. Mara Galvani reúne suas memórias vivas e se coloca nos lugares das senhoras da geração anterior à sua, quando assume as rédeas de sua própria vida, como tantas outras mulheres que deixam de ser a filha de X, a mulher de Y, e tendo suas identidades dissociadas de qualquer outra figura masculina.”

Será possível conferir a mostra até 28 de agosto – nas segundas-feiras, das 9h às 16h; de terça a sexta-feira, das 9h às 22h; e nos finais de semana, das 16h às 22h.

Também será possibilitada a visitação on-line, a partir da UAV Digital.

Ainda, estão previstas duas atividades relacionadas ao tema:

Mediação Identidades Sacramentadas da Exposição Nossas Senhoras, com Mara Galvani e Silvana Boone, no dia 29 de julho, às 18h30, com inscrições gratuitas.

Visita Guiada à Exposição Nossas Senhoras, com Mara Galvani e Silvana Boone, atividade integrante da décima quinta Semana da Fotografia de Caxias do Sul, no dia 19 de agosto, às 19h30.

Foto Acervo Mara Galvani

FOCAR VEÍCULOS.svg

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Captcha loading...