Poesia: Vidas cruzadas…

pedro henrique

 

 

Através do vidro da janela da cozinha

Observo a vida que passa ao longe,

Sem interrupções e histórias marcantes

Que elevam a minha percepção e

Opiniões sobre tudo o que já vivi…

 

Cordão umbilical…

Tenho pensado sobre a literalidade

De cortar laços que nos une, segura-nos

Eu e o meu filho Pedro Henrique.

Lembro ainda o dia em que ele nasceu

Da sua tez e do brilho nos seus olhos.

Eu soube desde então que a minha vida

Mudaria completamente…

 

Não sei o que dizer, por onde começar,

Sei apenas que quanto mais o tempo passa,

A vontade de chorar só aumenta, porque afinal,

Bem remoto pensar que o mundo vai de alguma

Forma, abraçá-lo, carregar em acalentos e berços,

Alguém que por essas coisas inexplicáveis,

Faz parte de uma vida perfeita de sonhos…

…realizados…

 

Hoje pela manhã conversamos um tempo,

Ele me olhou firme como se entendesse,

Pedi-lhe perdão, porque talvez eu tenha

Lhe tirado a maior chance que poderia ter,

Com verdadeiros avós e uma mãe que

Nos seus sonhos norteia sua cabecinha…

 

Caberia uma pausa de reflexão;

Sei que isso pode estar implícito,

Que talvez não possamos prever ou

Conceber, mas mesmo assim, não

Quero vê-lo crescer com a ideia de

Que eu não tenha sido tudo o que

Ele imaginava para viver feliz…

 

Vou buscá-lo todos os dias, pegarei a sua mão firme,

Quero que ele sinta o calor e a minha disposição para

A sua segurança, pois o que importa, a minha

Única preocupação, é vê-lo crescer feliz…

 

By Laudir Dutra

 

FOCAR VEÍCULOS.svg

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Captcha loading...